domingo, 13 de julho de 2008

I ENCONTRO A DISTÂNCIA - Reflexão do texto Objetos Virtuais de Aprendizagem: Ação, criação e conhecimento (Walter Spinelli) Turma 5

De acordo com Walter Spinelli, um objeto virtual de aprendizagem pode se constituir numa situação favorável para o aluno chegar ao cume da pirâmide informacional, criada por Machado. Tendo em vista os argumentos de Spinelli para esta afirmação, reflita sobre outras situações de aprendizagem que você vivenciou que tenham proporcionado efeito semelhante. Compartilhe suas reflexões com o seu grupo, aqui no blog.

12 comentários:

Elivanuza disse...

Segundo Spinelli para se chegar ao cume da pirâmide (Conhecimento), o aluno deve conseguir fazer a relação entre o conhecimento ora visto e a sua devida utilização, contextualizando-o com as demais disciplinas curriculares. Na minha vivência docente, pude facilitar uma situação de aprendizagem através da aplicação de um projeto de aulas de campo, que visavam despertar nos alunos a melhor compreensão dos conteúdos de áreas diversas, ao manterem contato com uma atividade econômica (extração do sal) e ainda poderem analisar como essa atividade está interferindo diretamente com o meio ambiente, entre outros questionamentos que surgiram após essas viagens.
Até logo, nos veremos no próximo encontro...

Djair James disse...

Há várias etapas que percebi a ordem do triângulo de Machado, uma delas é através de gráficos na representação do movimento pois,neste aparecem dados no gráfico onde,o aluno pode analisá-lo para interpretar e chegar a uma conclusão ou um valor que não tenha no gráfico,outro conteúdo seria o da ótica que,por sua vez, estuda o caminho da luz em um meio( no caso lentes) gerando imagem ampliada ou reduzida de acordo com a distância.Ao passar para o educando os "dados" de uma questão das lentes pode-se construir "informação"(imagem mais nítidas e maiores) que na verdade já vem prontas, mas mesmo assim, chega-se ao terceiro nível o "conhecimento" sobre a ótica, eles podem avaliar os conhecimento e relacioná-las com outras que não são prontas,ou melhor, o estudante reflete sobre a possibilidade de criar esquemas usando um acoplamento de duas ou mais lentes com características diferentes(maior,menor,côncava,convexa e etc.) até definir uma conclusão própria isso, é que Machado enunciou de "inteligência",ou seja,construir projetos com a sequência dos três item. contudo,ainda existem outros conteúdos; entretanto,estes talvez sirva bem depedendo do nível de dificuldade.

TCHAU, NOS VEREMOS EM BREVE

João Paulo Gondim de Aquino disse...

Atividade sobre o texto: OS objetos virtuais de aprendizagem: ação, criação e conhecimento.

Todos sabem que não basta levar o aluno para frente de um computador sem dar as orientações corretas para que eles possam subir um patamar na pirâmide informacial. Em 2006 quando lecionava numa determinada escola aqui em Mossoró, ensinava a uma turma que apresentava conhecimentos sobre matemática muito abaixo das outras, precisávamos encontrar uma maneira de chamar a atenção daqueles alunos para que aprendessem as 4 operações de maneira que tivesse significado para eles. Fomos à sala de vídeo e lar tinha um CD com conteúdos de matemática em forma de jogos, levamos esses alunos para “brincar” com esses jogos, mais primeiro demos todo o aparato necessário para eles começarem com a atividade, e sem eles perceberem já estava multiplicando, dividindo, somando e subtraindo. Melhoramos e muito a aprendizagem dos alunos como também o comportamento deles que passaram a ficar atentos as explicações, pois, sabia que iriam precisar das explicações para poder mexer no jogo no computador.

Juciene Veríssimo disse...

Um projeto sobre a purificação da água poluída.( utilizando a àgua do rio mossoró).
Os alunos levantaram hipóteses e concluiram que a semente de muringa realmente purífica a àgua contaminada.
Os alunos utilizaram a prática e a teoria tanto por meios tradicionais como virtuais.

Cristiane de Carvalho Ferreira Lima disse...

De acordo com o texto de Spinelli, o aluno está rodeado de informações,e que a escola não está preparada para responder a todos estes questionamentos que ele trás.Mas sabemos que a escola pode passar por mudanças e que os objetos virtuais de aprendizagem possibilita o aluno a interagir e fazer parte do processo de aprendizagem junto com o professor.

Divamar Bezerra disse...

Segundo Spinelli partindo da leitura de dados, geramos informação; da informação,analisando-as, criticando-as, relacionando-as, construimos conhecimento e a partir desse conhecimento vem a capacidade de projetar.
Acreditamos que com o uso adequado dos instrumentos de tecnologia, o aluno terá melhor rendimento de sua capacidade criativa. No ano passado tivemos a felicidade de fazermos uma aula de campo, juntamente com outros professores, onde nossos alunos poderam conhecer de perto uma salina,e descobrir que apesar dos lucros com as exportações do sal, essa atividade vem degradando a natureza. A aula foi proveitosa e desenvolveu em nosso aluno muitas curiosidades que os levaram a pesquisas e questionamentos.
Um abraço, até breve.

Niedson Alves disse...

O educador busca a melhor forma de compartilhar os conhecimentos com os educandos,e isso, requer planejamento.O educador deve incentivá-los a raciocinar.É importante que eles busquem a análise,compreensão e relação do conhecimento teórico com práticas vistas ou vividas no dia-a-dia.Durante o ano de 2007, tive a oportunidade de realizar uma aula de campo na praia com outros educadores e buscamos associar os conhecimentos teóricos adquiridos na sala de aula.Foi importante ,pois, eles conseguiram compreender conceitos e processos biológicos.
Outra atividade importante, realizada em 2007, foi a feira de Ciências, durante a qual o educador,preocupou-se em orientá-los,enquanto,eles desenvolveram toda a atividade, desde a coleta de dados à elaboração e execução do projeto.
Acredito que os objetos virtuais de aprendizagem, irão proporcionar ao educando a possibilidade de analisar situações relacionadas a conteúdos específicos,além de sua compreensão e formulação de teorias que busquem explicar cada situação.Porém,esses objetos não devem substituir ou tornarem-se a única forma de conduzir os nossos educandos à aprendizagem,pois, julgo importante as aulas de campo,de laboratório e projeção de filmes com posteriores discussões.
Até logo.

Francisca das C. P. B. Fernandes disse...

Como mostra Spinelli, as situações de aprendizagem ajuda ao professor a inovar as suas aulas e leva o educando a criar auto-estima e fixar melhor o conhecimento de acordo com o conteúdo apresentado pelo professor. Na nossa Escola no ano de 2007, pudemos comprovar essa teoria através de um Projeto "Teação" elaborado pelo professor de Química, onde junto a alunos de várias séries criaram uma Peça Teatral, onde levavam situações de Experiências de Químicas a Vários outros alunos de outras escolas e nas Cidades circunvizinhas proporcionando um Intercâmbio entre todos. Um abraço a todos e até o próximo encontro.

Meire Souza disse...

Concordo plenamente com o autor quando diz que com o crescimento dos recursos tecnológicos, especialmente computadores e internet, novas situações de aprendizagem têm surgido constantemente. Essas situações de aprendizagem, sem dúvidas, representam avanço quando comparadas às metas tradicionais de educação utilizadas pelas escolas de antigamente. No entanto, sabemos da necessidade de se ter certo cuidado, pois, o acesso às informações pelos meios tecnológicos não é garantia de construção do conhecimento em situações escolares.
Temos consciência também de que o desafio do professor é hoje bem maior do que antes, pois precisa estar preparado para lidar com n situações. Além da obrigação de acompanhar novas situações de aprendizagem, o professor tem a responsabilidade de estimular e direcionar o aluno a buscar novos dados para que, a partir destes, sejam geradas as informações necessárias para produção do conhecimento.
Portanto, posso citar como exemplo de experiência de situação de aprendizagem uma semana cultural, onde, os alunos se utilizam da leitura e interpretação de dados adquiridos de várias formas, com o objetivo de organizar e construir projetos nos quais possam ser engajados não só todos os alunos, mas toda comunidade escolar.
No decorrer de uma semana cultural, observamos que com o desenrolar dos projetos articulados e montados pelos próprios alunos, os mesmos não só absorvem o conhecimento, como também, vivenciam na prática, desenvolvendo a criatividade e ainda a capacidade de reflexão e organização de suas idéias.

Nerônica disse...

REFLEXAO...

Spinelli mostra o esquema da “Pirâmide informacional” para fazer uma espécie de hierarquia na concepção de conhecimento.
Com isso, segundo ele, ter acesso aos dados (ditos informações por muitos) veiculados nos meios mais variados (TV, internet, jornais entre outros) não implica na aquisição de informação. Isso só acontece a partir do momento em que estes dados são trabalhados e organizados. Acredita-se que quando se relaciona o que se lê ao que se vive, aumenta as chances de assimilação de determinados conteúdos. Assim o conhecimento começa a ser gerado tendo como ponto de partida as informações adquiridas, relacionando-as e dando-lhes significado, passando ao quarto patamar que é o da inteligência, desenvolver a capacidade de usar esse conhecimento pra pensar seu saber numa perspectiva de junta-lo ao saber humano em prol de um futuro seu e de todos. Para isso tem q selecionar material adequado, sistematizado, com metodologias e recursos direcionados que facilitem a reflexão e justifique o motivo pelo qual se estuda determinadas teorias, leis, conceitos etc. Como alternativa, apresenta o que ele chama de Objetos Virtuais de aprendizagem, para integrar a tecnologia à sala de aula, já que é algo que há muito faz parte do dia-a-dia dos jovens. Ligando teoria e pratica de forma interativa e interessante, de fácil manipulação. Não sendo este um recurso único, mas sim uma possibilidade de dinamização.

teh pra tds

Geane Gomes disse...

Na minha opinião os objetos virtuais de aprendizagem, é uma situação inovadora para ser uitilizada nas escolas com nossos alunos. Entendo que o uso deses objetos amplia o campo de possibilidades para o desenvolvimento da criatividade dos alunos. Nesse sentido concordo com Spinelli quando ele diz que a atividade pedagógica deve ter como principal objetivo alcançar o patamar superior da pirâmide informacional de Machado. Cabe a nós professores buscar envolver todos os pontos da pirâmide na construção de nossos projetos, inovando-os com os objetos virtuais de aprendizagem.

disnelândia disse...

A escola não pode ignorar o avanço tecnológico que tem atraído a atenção dos jovens, assim como os muitos dados e informações a que os alunos têm acesso. A rede mundial de computadores (internet), se usada de maneira adequada, pode se tornar um recurso valioso e atrativo na produção do conhecimento. E como diz Spinelli: “O uso inteligente dos instrumentos de tecnologia, como a produção de objetos virtuais de aprendizagem, [...] amplia o campo de possibilidades para o desenvolvimento da capacidade criativa dos alunos”.
21 de Julho de 2008 17:35